terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Acredite


Enquanto se desistia do sonho

O dia veio e acabou com tudo:

Com a escuridão, com o medo e com a fúria

Destruiu a vontade de fugir para sempre


Enquanto se acreditava na noite

As estrelas caíram no meu chão

Formaram um tapete de luz

Brilharam tanto, até cegar os olhos

Até fazer a alma brilhar outra vez


E meio assim, sem saber de nada

querendo entender um pouco de tudo,

É que acontece do coração perceber

Que alguma coisa é diferente

Não se sabe como, nem onde, nem por quê

Não se sabe

Apenas sente que deve acreditar

E acredita.


E enquanto se desistia da vida

Os sonhos vieram e devolveram o brilho

Devolveram a vida

Devolveram o amor perdido

E mesmo sem entender,

Acredito.

3 comentários:

Layane disse...

Esse blog é MARAVILHOSO! Passei horas aqui.
Todos vocês esquevem muito bem e têm exatamente o tipo de texto que eu gosto.
Parabéns!
Voltarei sempre, com certeza.

Thiago Kuerques disse...

A gente sempre tem um ponto alem do que achamos ser o ponto final.

Raquel Gonçalves disse...

Muito bom esse texto.
Espero ver mais destes por aqui.
Namastê!