quinta-feira, 5 de março de 2009

Hoje ele não vem





Nada pior e mais propício a pensamentos tortos que a espera. Qualquer que seja, ela sempre atormenta de alguma forma, seja pela ânsia de logo chegar aonde se vai, seja pela pressa de se encontrar quem tanto deseja, seja pela dúvida sobre os reais motivos do atraso ou da ausência. Esperar nunca é fácil demais, pelo contrário, para aqueles ansiosos como os loucos virginianos exigentes, esperar é quase uma tortura. Esperar é quase morrer. Tudo bem que dizem que “quem espera alcança”, que “o apressado come cru”, ou ainda que a paciência é uma dádiva. Balela. Ninguém gosta de esperar, principalmente quando se tem muito desejo. Mas, um dia ou outro, mais cedo ou mais tarde, todos nós esperaremos, por alguma coisa ou por alguém. Inevitável. Recomendo, portanto, que tenham sempre um livrinho de bolso, um celular com jogos interessantes, uma revista de palavras cruzadas ou uma companhia com quem possa se distrair. Isso diminui a terrível sensação de estar sozinho à mercê de algo que pode não acontecer. E distrai os pensamentos, evitando aquela tensão terrível e aquele desconforto de não saber para onde olhar, o que fazer com as mãos, fingindo aos que olham que está tudo bem. E quando for possível, não espere tanto. A vida não pode se atrasar e nós não merecemos que a felicidade seja adiada.

Um comentário:

Danyel de Argolo Cardoso disse...

Pra mim, toda essa idéia de "quem acredita sempre alcança" e blá blá blá, é pura pseudo-esperança baseada num positivismo confortador.

Hajamos, pois! O Mundo é dos que agem.

Não existe um "mais cedo ou mais tarde". Quanto mais cedo possível, melhor.