quarta-feira, 29 de abril de 2009

Espelho


Você não é o seu nome
Você não é o que consome
Você não é o que veste
Muito menos o que investe
Dispa-se do que diz ser concreto
É tudo abstrato, eu alego
Papéis são rasgados
Tecidos amassados
O verdadeiro valor das coisas está na nossa mente
O que você tem é o que você sente
O amor que você dá
O ódio que transmite
A esperança que aspira
O que realmente difere os seres humanos
É imperceptível aos olhos
Chega de conceitos ilusórios
Veja tudo além dos reflexos
A vida passará a ter mais nexo
Você não é O QUE quiser
Você é QUEM você quiser
Não é algo, mas alguém
Abaixo às mentiras
A completa verdade jamais será dita
Pois quando esta for reproduzida
Já será inibida
Nada é aquilo que se vê
Nada é aquilo que se lê
Nada é aquilo que se ouve
Tudo é aquilo que se vive
Encare o espelho
E enxergue a sua verdade
Você é o que sente

3 comentários:

Dênis Rubra disse...

Lindamente profundo!

S.Cristina disse...

"Encare o espelho
E enxergue a sua verdade
Você é o que sente."


Lindo demais!

Danyel de Argolo Cardoso disse...

Esse fez parte dos bastidores do FESPE.