domingo, 15 de março de 2009

Rascunhos




Já faz algum tempo...
Talvez pelas noites mal dormidas ao seu lado, ou pelas bem dormidas.
Talvez pelas discussões e os beijos de despedida eterna!
Talvez pelos abraços de reencontros "quase casuais"...
As coisas que vão, são as coisas que realmente ficam...
Já faz algum tempo que não vejo minha caixa de e-mails
E faz tanto tempo que não vejo a chuva, o céu, o mar...
Talvez pela vida que fica cada vez mais e mais complicada
Talvez pela falta mesmo de ânimo pra tais aventuras...
Ficamos velhos...
E percebemos que o mundo cor-de-rosa que construímos, desmoronou
Ele nem chegou a existir de fato...
Deixemos as coisas do passado, no passado...Sem que façamos delas quadros nas paredes
onde perdemos várias horas do nosso precisoso sábado, olhando fixamente...
O passado ficou para traz, meu amor...
E este sábado chuvoso, é tudo que temos! É a única coisa que temos...
Abraçe-me, deite do meu lado...Sejamos só nós dois e um sábado chuvoso...
Café quente, cobertor no sofá...Algum besteirol na televisão
O cheiro dos seus cabelos, e nada mais...
Nada de bares ou boates... (Estamos velhos)
Talvez pela vida que passou correndo...
Talvez por queimarmos todo o nosso fogo juvenil rápido demais...
Queimou o fogo, a brasa...
Agora temos um sábado chuvoso, um sofá...E a promessa de um passado quieto...E um futuro planejável....
Pois a imaginação de dois velhos de vinte e poucos anos não precisa de mais que um canto de sofá.

2 comentários:

Dênis Rubra disse...

Gabriel, texto excelente. "Sem que façamos delas quadros nas paredes"
esse trecho é foi o que mais gostei!
parabens

Danyel de Argolo Cardoso disse...

Quando eu crescer, quero escrever que nem você.

"passado ficou para traz, meu amor".

Isso foi genial.