domingo, 25 de outubro de 2009

Arpoador



Ah! Porra! A dor
A pura dor
Apura a dor
Sem pudor
Por amor
Ah, por favor
O pôr do sol acabou
Deixa a verdade se impor
Puta que pariu!
A dor não partiu
Pariu o apartar do meu
Apartamento
Sofrimento.



* Registro de uma tarde em Ipanema
-Mariana Moreno e Thaís Reis

3 comentários:

Thiago Kuerques disse...

Gostei dos sons do poema. Esse canto é brilhante assim.
BEijos

thaís disse...

Depois de algumas tentativas, muitas risadas, algumas pobres rimas, chegamos ao topo da criatividade...rs
Mari, adorei a parceria na escrita...precisamos fazer isso mais vezes, muitas vezes... Acho que formamos uma boa dupla...rs
Eu possmo dizer que sou sua fã...rs
Amo você, amiga...
A tarde ao lado do Arpoador foi, simplesmente, perfeita e inspiradora...
Amo você.

Zé Gabriel F. disse...

Poesia marginal pura!
to querendo seguir por essas veredas...

Excelente.